Cartao de Credito

Tire suas Dúvidas sobre Pensão Alimentícia

Quando um casal se separa, muitas coisas precisam ser pensadas. Uma das mais importantes é o direito à pensão alimentícia, que se destina ao sustento dos filhos ou de um dos cônjuges. Dito de outro modo, o benefício serve para ajudar a manter o padrão de vida familiar mesmo após a separação. Na maior parte dos casos, a pensão é direcionada aos filhos, mas, em alguns casos, também deve ser pago ao ex-marido ou ex-esposa. Para que você entenda melhor como funciona o pagamento do benefício, separamos algumas informações úteis sobre o assunto.

Pensão Alimentícia

Informe-se sobre o pagamento do benefício

Como a pensão alimentícia é calculada

O valor da pensão alimentícia é definido por um juiz, que avalia a situação financeira de ambas as partes para estabelecer uma quantia justa. Quando a pessoa que pagará o benefício recebe um salário fixo, o valor gira em torno de 33% da renda líquida. Esse valor independe da quantidade de filhos.

Quando a renda não é fixa, o juiz precisa analisar bem a situação financeira de quem recebe a pensão e averiguar como era o padrão de vida da família antes do divórcio. De acordo com a lei brasileira, o pagamento do benefício não pode prejudicar o sustento de quem paga. Isso quer dizer que ninguém pode passar por dificuldade financeira para efetuar o pagamento da pensão alimentícia.

Como solicitar o benefício

O primeiro passo para solicitar a pensão alimentícia é tentar um acordo verbal com a outra parte. Quando o acordo não é possível, o ideal é procurar um advogado para que ele dê entrada ao processo de solicitação de pensão. Quem não tem condições de pagar um advogado, pode recorrer à Defensoria Pública. Segundo a Constituição Brasileira, todo cidadão tem direito a assistência jurídica.

Outras Informações Importantes

  • Homem e mulher têm obrigações iguais em relação ao sustento dos filhos;
  • Quem não paga a pensão pode ir preso por um período de 30 a 90 dias;
  • Filhos adotivos tem o mesmo direito à pensão que filhos legítimos;
  • Apesar do nome, a pensão se destina ao pagamento de alimentos, mas também de educação, vestuário, lazer, habitação, entre outros;
  • Os pais são responsáveis pelo pagamento da pensão, mas, em alguns casos, a lei pode acionar os avós ou outros parentes para pagar o benefício;
  • Para evitar problemas, a dica é guardar os comprovantes de depósito ou solicitar um comprovante de pagamento ao beneficiário.



Não encontrou o que procurava?

Custom Search
2 Comentários
  1. Maria Das Dores  em 12/10/2012: 05:11

    Em quais casos,a lei pode aciona os avós, ou outros parentes para pagar o beneficio, a pensão alimenticia?

  2. Emília Silva  em 14/10/2012: 16:46

    Maria das Dores, quando o pai ou a mãe não podem pagar a pensão determinada pelo juiz, a lei diz que essa obrigação será transferida para os avós ou parentes mais próximos. De acordo com o Código Civil, no art. 1.696: “O direito à prestação de alimentos é recíproco entre pais e filhos, e extensivo a todos os ascendentes, recaindo a obrigação nos mais próximos em grau, uns em falta de outros”. Assim, os avós e outros familiares podem ser obrigados a pagar o benefícios quando o pai for ausente ou não tiver condições financeiras de arcar com a pensão.

Deixe um comentário!

Se você gostou do post, ou não, mas tem algo a comentar, por favor, preencha o formulário abaixo. Pedimos apenas que cuide da escrita e não escreva nada ofensivo.

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório, mas não divulgado)

Mensagem

Cartão e Crédito RSS

Cartão e Crédito em seu e-mail!

Cadastre-se e fique atualizado sobre os cartões de crédito.

Fechar Cartão e Crédito