Cartao de Credito

Como Funciona o Leasing e quais os Benefícios?

Faz tempo que o orçamento não acompanha o custo de vida dos brasileiros. Quem nunca viveu a experiência de se arriscar em uma manobra no salário para adquirir um novo bem? Basta passar por uma concessionária ou mobiliária para começar a sonhar alto. Porém, qual a melhor maneira de fazer um financiamento?

Muita gente acredita que um empréstimo junto a instituição bancária para aumentar a entrada do novo investimento é a melhor maneira de reduzir os gastos. Já que, com um valor mais alto para dar entrada, se reduz o número de parcelas e sucessivamente, os juros.

A verdade é que em casos como este, além do gasto com as prestações da nova aquisição, o consumidor acaba assumindo as parcelas do empréstimo, que também sofrerão reajustes fiscais.

Uma opção para se livrar do duplo prejuízo é o leasing – um modelo de financiamento que funciona como uma espécie de aluguel. A diferença é que, ao final do processo, o locatário tem possibilidade de adquirir o bem. Você conhece este modelo de negócio? Neste post iremos apresentar os tipos de leasing e explicar o funcionamento. Confira.

Como funciona?

Judicialmente, o leasing é chamado de locação financeira ou  arrendamento mercantil. Na prática, a instituição bancária compra o bem e o arrenda para o futuro comprador, o que significa que até a quitação da dívida, o locatário pagará por mensalidades acordadas junto ao banco. Ao final do financiamento – quando quitadas todas as prestações, o produto será transferido, oficialmente, para o arrendatário. Durante esse período, o carro, imóvel, máquina, equipamento, computador ou outro bem fica em nome da financeira.

Em geral, existem três tipos de leasing muito semelhantes, mas que se diferem em alguns detalhes. O Leasing Financeiro é o modelo mais comum no Brasil. Neste caso são envolvidos três agentes: o arrendatário, o arrendador e o fornecedor do bem. É a situação de quem vende um imóvel por meio de uma imobiliária.

O atual dono do imóvel recebe o valor da venda a vista, enquanto a imobiliária financia o imóvel para o novo comprador. Ou seja, o imóvel é propriedade da imobiliária até que seja completamente pago pelo novo proprietário.

No Lease Back não existe o fornecedor do produto. O bem pertence ao arrendador, que o “empresta” ao arrendatário. Esse modelo é muito utilizado por construtoras de imóvel. Como são a proprietária direta do imóvel, apenas realizam um financiamento para o primeiro comprador que ao final, terá o bem adquirido.

Leasing

Entenda como funciona o Leasing

O Leasing Operacional é uma espécie de locação de instrumentos ou materiais, com prestação de serviços prevista em contrato. É o que têm feito montadoras de veículos em parceria com aplicativos de transporte de passageiros. Frotas são disponibilizadas para prestar o serviço de transporte, em troca as empresas respeitam regras de conservação e manutenção dos veículos, além de arcarem com prestações mensais, como se estivessem alugando os carros.

Ao final do contrato, os veículos são substituídos ao invés de serem comprados pelas empresas de aplicativos. Assim sendo, novas frotas estarão sempre disponíveis para prestar serviço, enquanto o locatário nunca terá um bem específico.

O leasing é mais comum nos financiamentos de automóveis. A transação pode ser atrativa, pois os juros cobrados geralmente são menores que os do financiamento comum. É legalmente isento do Imposto por Operações Fiscais (IOF), o que explica as taxas reduzidas.

No entanto, é preciso tomar cuidado antes de se optar por um contrato de leasing financeiro. Nesse tipo de compra, o bem não está no seu nome, o que facilita a retomada do mesmo em casos de inadimplência. Além disso, o contrato priva a liberdade do comprador de vender o produto antes de quitar todas as prestações. Por isso, é fundamental que se avalie muito bem as condições do contrato, antes de assiná-lo.

É possível, no caso do leasing, realizar a quitação antes do prazo do contrato definido. A quitação prévia do bem configura em desconto de encargos financeiros cobrados.  A Resolução CMN 3.516, de 2007, estabelece os parâmetros para cálculo do valor de liquidação do contrato de leasing, com taxas prefixadas, pessoas jurídicas, MEI e empresas de pequeno porte.

A base normativa para a regularização do leasing são as Lei nº 6.099, de 1974, Resolução 2.309, de 1996 e Resolução 3.516, de 2007.

A vantagem do leasing são os benefícios fiscais, que são bons para empresas pois aumentam o lucro. Permite que os valores pagos periodicamente às prestadoras sejam vistos como despesas operacionais, o que reduz a base tida para o Imposto de Renda. Os benefícios fiscais dependem do valor do bem e do prazo de financiamento. O mínimo é 24 meses para bens com depreciação de até 5 anos, ou seja, de baixa duração, de 36 meses para bens de longa duração.

O leasing de carros chegou a ser muito comum no país, apesar de ter perdido um pouco a sua popularidade. Porém, com as altas taxas de financiamento, pode ser um bom meio para os que desejam fugir de IOF e tarifas altas. Ele é uma ótima alternativa para quem não tem uma quantia guardada para o financiamento.



Não encontrou o que procurava?

Custom Search
1 Comentário
  1. meuri  em 1/10/2012: 12:22

    que matéria legal

Deixe um comentário!

Se você gostou do post, ou não, mas tem algo a comentar, por favor, preencha o formulário abaixo. Pedimos apenas que cuide da escrita e não escreva nada ofensivo.

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório, mas não divulgado)

Mensagem

Cartão e Crédito RSS

Cartão e Crédito em seu e-mail!

Cadastre-se e fique atualizado sobre os cartões de crédito.

Fechar Cartão e Crédito